15 filmes de cineastas LGBTQIA+ na Netflix e na Amazon Prime

Gays e lésbicas sempre tiveram uma forte presença na indústria do cinema, tanto à frente quanto por trás das câmeras. Ultimamente, essa presença tem se tornado mais visível, em consequência dos movimentos em defesa de um cinema mais diverso – com maior representantividade também para mulheres e negros.

Conheça os livros da Boníssimo! Edições

Sinal dos tempos, portanto, que possamos hoje identificar tantos diretores e diretoras de cinema LGBTQIA+ nos catálogos das duas maiores plataformas de streaming, Netflix e Amazon Prime; homens e mulheres de diferentes idades e nacionalidades.

Dá só uma olhada nesta lista, que fizemos tomando como gancho o mês em que se comemora o Orgulho LGBTQIA+. Mas vale ressaltar que não se trata de uma lista exclusiva de “filmes gays”, porque a contribuição dessas pessoas à arte não se restringe a temática específica.

El Cazador, de Marco Berger (Argentina, 2020). Na Netflix – Enquanto descobre a própria sexualidade, um adolescente se vê sozinho em casa, enquanto os pais viajam, e se envolve em um perverso esquema de chantagens.// Em 2011, o argentino Marco Berger, 45 anos, ganhou no Festival de Berlim o Teddy Award, de melhor filme LGBT, com seu segundo longa, Ausente. O tema da homossexualidade é sempre presente em seus filmes, e o ótimo El Cazador não foge à regra.

El Cazador
El Cazador, do argentino Marco Berger

A Última Coisa que Ele Queria, de Dee Rees (Estados Unidos, 2020). Na Netflix –Jornalista investigativa atende ao pedido do pai, pilantra envolvido em tráfico de armas, para fazer uma transação que lhe garantirá a aposentadoria. A história é um tanto confusa e demora a envolver o espectador, mesmo com Anne Hathaway, Ben Aflleck e Willem Dafoe no elenco. // Dee Rees, 45 anos, está em alta desde 2017, quando recebeu quatro indicações ao Oscar por Mudbound: Lágrimas Sobre o Mississippi. É casada com a escritora Sarah M. Brown, autora de Casa Amarela (lançado no Brasil pela Somos Livros)

Dentro de Casa, de François Ozon (França, 2013, foto no destaque). Na Amazon Prime – Um professor de literatura frustrado pela mediocridade de seus alunos, fica obcecado em ajudar um deles que confessa espiar a casa de um colega em busca de inspiração para escrever. Com Fabrice Luchini e Kristin Scott Thomas. // François Ozon, 54 anos, gosta de observar o comportamento humano de perspectivas pouco comuns, o que rende filmes instigantes e controversos. Dele, a Amazon tem também O Amante Duplo (2018) e Graças a Adeus (2019, drama sobre pedofilia na Igreja) e na Netflix é possível assistir a Jovem e Bela (2013).

A Pé Ele não Vai Longe
Joaquim Phoenix em ‘A Pé Ele não Vai Longe’ | Foto: Divulgação

A Pé Ele não Vai Longe, de Gus Van Sant (Estados Unidos, 2018). Na Amazon Prime – Um artista alcoólatra descobre seu talento para o cartum e uma nova visão de mundo depois de sofrer um acidente que o deixa tetraplégico. Com Joaquin Phoenix e Rooney Mara. // O norte-americano Gus Van Sant, 69 anos, nunca tirou o pé do cinema independente, onde começou. Além de obras seminais como Elephant (2003) e Paranoid Park (2007), são dele o genial Garotos de Programa (1991) e Milk (2008), biografia do ativista gay Harvey Milk (1930-1978). A Amazon tem outros dele para aluguel: Drugstore Cowboy (1989) e Psicose (1998), remake do clássico de Hitchcock.

Pacto de Vingança, de Jamie Babbit (Estados Unidos, 2013). Na Amazon Prime Duas amigas fazem pacto em que cada uma deve assasinar a inimiga da outra, mas o que parecia uma brincadeira toma rumos inesperados. // Desde seu primeiro filme, But I’m a Cheerleader (2009), em que uma líder de torcida é enviada para um lugar onde será curada de lesbianismo, a norte-americana Jamie Babbit, 51 anos, demonstra seu gosto pelo humor satírico. Já dirigiu episódios de inúmeras séries, como Gilmore Girls e Ugly Betty. Na Netflix tem outro filme dela: Duas por Uma, com Drew Barrymore.

Como Falar com Garotas em Festas, de John Cameron Mitchell (Reino Unido/Estados Unidos, 2017). Na Netflix Na Londres dos anos 1970, auge do punk, dois garotos são convidados para uma festa, conhecem três belas garotas e se envolvem numa alucinada história de extraterrestres. Adaptação de uma história de Neil Gaiman. // O ator e diretor americano, John Cameron Mitchell, 59 anos, é também diretor dos provocativos Hedwig: Rock, Amor e Traição (2001), que ele mesmo protagoniza, e Shortbus (2007).

Como Falar com Garotas em Festas
Como Falar com Garotas em Festas adapta história de Neil Gaiman | Foto: Divulgação

Olho por Olho, de John Schlesinger (Estados Unidos, 1996). Na Amazon Prime (para alugel, R$ 6,90) Estranho invade casa de família e mata garota de 17 anos. A mãe revive o drama ao ver o assassino ser liberado por conta de aspectos técnicos da Justiça. Com Com Sally Field e Kiefer Sutherland.// O britânico John Schlesinger (1926-2003) tem filmografia irregular mas com pontos altos como o clássico Perdidos na Noite (1969) e Domingo Sangrento (1971), filmes com personagens homossexuais mas que vão além do rótulo de cinema gay. Dele, a Amazon também tem o fraquinho Sobrou pra Você (2000), com Madonna.

Speed Racer, de Lilly e Lana Wachowski (Estados Unidos, 2008). Na Amazon Prime (para alugel, R$ 7,90) Supreendente e fiel adaptação cinematográfica da série de animação dos anos 1970, baseada em um mangá japonês. Com Emile Hirsch e Christina Ricci. // Não há como falar em diversidade no cinema sem citar as irmãs Wachowski, de 54 e 57 anos respectivamente, que mudaram de sexo no auge do suscesso da franquia Matrix, criada por elas e toda disponível para alugel na Amazon.

Minhas Mães e Meu Pai, de Lisa Cholodenko (Estados Unidos, 2010). Na Amazon  Prime O cotidiano de um casal de lésbicas e seus dois filhos adolescentes muda quando elas decidem realizar o desejo dos jovens de conhecer o pai biológico. Com Annette Bening e Juliane Moore// Lisa Cholodenko lançou o primeiro longa, High Arte (também sobre amor lésbico), em 1998, e já dirigiu episódios de séries como The L World e A Sete Palmos. Minhas Mães e Meu Pai lhe rendeu quatro indicações ao Oscar.

Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos (Espanha, 1988). Na Netflix e na Amazon Prime – Vários personagens se cruzam e vivem situações inusitadas na casa de uma mulher que acaba de ser abandonada pelo amante e está inconformada. Com Carmem Maura. // Vale ressaltar esta comédia porque foi a que apresentou o genial cineasta espanhol, 72 anos, ao grande público, mas poderia ser qualquer filme de Almodóvar. A Netflix tem 12 deles, incluindo o mais recente, Mães Paralelas (2021). Na Amazon tem oito, incluindo o média A Voz Humana (2021, para alugel, R$ 6,90).

Lovelace-fotos-2
Amanda Seyfried é Linda Lovelace em ‘Lovelace’ | Foto: Divulgação

Lovelace, de Rob Epstein e Jeffrey Friedman (Estados Unidos, 2013). Na Amazon Prime A história de Linda Lovelace, uma garota de família que acabou se tornando a estrela do clássico pornô Garganta Profunda. Com Amanda Seyfried. // Rob Epstein e Jeffrey Friedman são dois nomes de respeito no chamado cinema queer. São deles os sensacionais documentários O Outro Lado de Hollywood (1995), sobre os gays no cinema e na indústria de Hollywood; The Times of Harvey Milk (1984), vencedor do Oscar, e Caminhos Cruzados (1989), com histórias de vítimas da Aids. Na Netflix tem outro doc mais recente deles, A Partida Final.

Meu Namorado Fake, de Rose Troche (Estados Unidos, 2022). Na Amazon Prime – Após terminar pela enésima vez com o namorado, um ator esnobe, dublê cria um namorado virtual, que logo conquista milhões de seguidores. O problema é que nesse meio tempo ele se apaixona, na real, por um chef. // A americana Rose Troche, 58 anos, ficou conhecida em 1994 pelo seu filme de estreia, Par Perfeito, sobre a busca por amor numa comunidade lésbica. Meu Namorado Fake é uma comedinha aparentemente boba, mas que diverte com sua abordagem crítica das redes sociais e seus digital influencers.

Comer Rezar Amar, de Ryan Murphy (Estados Unidos, 2010). Na Netflix Após uma reflexão sobre seus relacionamentos amorosos, mulher larga tudo e parte numa viagem de autoconhecimento Índia, Itália e Bali. Com Júlia Roberts. // Ryan Murphy é, aos 57 anos, um dos mais bem-sucedidos produtores e criadores de séries, dando sempre espaço em suas histórias a temática homossexual, a exemplo de Hollywood, The Politician, Glee e Halston (todas disponíveis na Netflix).

O Preço da Verdade, de Todd Haynes (Estados Unidos, 2019). Na Amazon Prime –Advogado de defesa corporativo se envolve em longo processo judicial contra grande corporação cujo lixo tóxico estaria causando a morte de milhares de cabeças de gado. Com Mark Ruffalo. // Ao estrear em 1991 com Veneno, adaptação de histórias do escritor gay francês Gean Genet (1910-1986), Todd Haynes, 61 anos, passou a ser considerado pioneiro do movimento “new queer cinema”. É dele também Velvet Goldmine (1998), Longe do Paraíso (2002), Não Estou Lá (2007), Carol (2015) e Sem Fôlego (2017, este também disponível na Amazon).

Animais Noturnos, de Tom Ford (Estados Unidos, 2016). Na Amazon Prime – Uma negociante de arte recebe do ex-marido um manuscrito cuja leitura a leva a descobrir verdades dolorosas sobre si mesmo e sua relação com o atual companheiro. Com Amy Adams e Jake Gyllenhaal. // O estilista americano Tom Ford surpreendeu quando decidiu seguir a carreira de cineasta, em 2009, na qual estreou com o denso e elogiado Direito de Amar, adaptação de romance do escritor também gay Christopher Isherwood (1904-1986). Ford perdeu no ano passado o marido, o jornalista Richard Buckley, com quem viveu por 35 anos.

Um comentário sobre “15 filmes de cineastas LGBTQIA+ na Netflix e na Amazon Prime

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s